OI OI OI, essa sou eu hiperativa numa manhã de sábado escrevendo uma coluna nova provavelmente não-regular baseada na Stuff I’ve Been Reading, do Nick Hornby na The Believer. Mas é que essa semana eu realmente vi muitos filmes. Vou fazer umas resenhas rápidas aqui.

Alice in Wonderland (2010)

Quem curtiu que me desculpe, mas eu esperava mais. Bem mais. Achei que a história não tinha profundidade, odiei alguns figurinos (e gostei muito de outros), e a luta no final foi ridícula (SPOILERS).

Ok, talvez esse simplesmente não seja meu tipo de filme. Não teve uma conversa fantástica como “Royal with Cheese” (Pulp Fiction) ou uma grande filosofia (vide Matrix). Outra coisa é que eu não sou muito fã dos livros de Alice. Admito seus méritos, mas não gosto. E o filme não teve grandes qualidades fora os efeitos especiais.

Claro, pontos altos: Johnny Depp, foda como sempre. As maquiagens das rainhas. O trabalho bem feito, apesar de não ter me convencido.

Pontos baixos: a luta final foi horrível.[SPOILER] Dou sempre muita importância às partes de luta, e a atriz que fez a Alice NÃO SABIA ESGRIMA. Ela passa o tempo todo fugindo, para no fim dar um grito, pular e decapitar o monstro. Os exércitos também não tiveram uma luta digna. Tomam um pau de qualquer exército orc de LOTR.

Nota: 35/50. Dá pra se divertir, apesar de tudo. Porém, não pretendo ver de novo, e acho que esse é um bom indicador.

9 – A Salvação (2009)

Assisti cinco minutos depoisde ver Alice, e puts, humilhou foda. Produzido por Tim Burton, dirigido por Shane Acker (que participou das partes de animação d’O Retorno do Rei) e com o Elijah Wood dublando o personagem principal, o filme é incrível.

Para começar, as cenas de ação são rápidas, fluidas e inteligentes. É uma porrada com estilo, sem fazer disso a parte mais importante do filme.

Os bonequinhos são lindos, daqueles que você quer comprar um igual e colocar na mochila como chaveiro e eles são individuais! Cada um tem suas caracteristicas, afinal cada um deles é uma parte do cientista.

O filme é triste, sob um certo ponto de vista. Eu chorei no final, se isso servir como referência. É inspirador, e trata sobre o fim do mundo como conhecemos, uma sociedade pós apocaliptica. Achei melhor que Wall-e.

Pontos altos: Deixe-me ver, lutas, discussões sobre o controle do Estado sobre a tecnologia, algumas criticas atuais, ataque  das máquinas, o controle da propaganda,  entretenimento que faz você pensar (se você interpretar o filme num plano mais profundo).

Pontos baixos: nada que eu me lembre agora . Não é “perfeito”, porque nada é perfeito, mas eu gostei muito. [SPOILER] meu personagem preferido morre, POR QUE ISSO SEMPRE ACONTECE COMIGO?[/SPOILER]

Nota: 44/50

2001 – A Space Odyssey (1968)

Kubrick. Stanley Kubrick. E Arthur C. Clarke. Já falei que eu adóóóro ficção cientifica? Principalmente aquela hardcore, que não explica muito, e que tem lutas contra máquinas? Pois é, ADÓÓÓRO.

E esse filme tem tudo. A cena com os macacos é mindblowin’, sério, acho muito boa. E o visual é tão… Kubrick, tudo branco, clean. Menos os controles e telas de controle, claro.

E a história é genial: conspiração, vida em outros planetas, ocultamento de informações, viagens espaciais, COMPUTADORES DO MAL. E macacos.

Pontos altos: trilha sonora impecável. Não dá para imaginar esse filme com outras músicas. As imagens, claro, e a visão de futuro dos roteiristas.

Pontos baixos: uma palavra, parado. Sem lutas, guerras, ação, nada. O personagem pode chegar a passar um minuto só para apertar um botão. Mas isso é parte da mágica. E não explica nada do que acontece, mas, de novo, é tudo de propósito.

Pode até parecer coisa de cult/indie fdp, mas eu gostei. E sei que nem  todo mundo gosta (aka 95% do mundo).

Nota: 42/50

Fight Club (1999)

Os homens hetéros e as mulheres lésbicas que me desculpem, mas o Brad Pitt está um gostoso nesse filme. E eu gosto de lutas e organizações clandestinas.

Não tenho muito o que falar  sobre esse filme, fora:

1º YOU DO NOT TALK ABOUT FIGHT CLUB.

e

2º YOU DO NOT TALK ABOUT FIGHT CLUB.

Caras lutando, fodendo com suas vidas, a Helena Bonhan Carter toda misteriosa e foda, o Brad Pitt todo machão, a destruição de tudo o que é “normal”, uma libertação.

Pontos altos:  lutas, o ambiente, as imagens, a temática, o Tyler. É um filme motivacional. E filosófico.

Pontos baixos: na minha opinião? NADA.

Nota: 45/50

Blade Runner (1982)

Esse sci-fi delicia, quando ainda dava pra chamar o Harrison Ford de gostoso. Adóóóórei os figurinos, o visual, essa sociedade meio detonada do futuro e a parte psicologica.

Mas não tenho muito pra falar, fora que tenho muito medo do Roy Batty e queria ter o cabelo igual uma das dróides lá (não lembro o nome).

Faltou uma perseguição com naves espaciais ein? Brincadeira, sei que essa não era a intenção do filme.

E olha, tô aceitando Do Androids Dream of Eletric Sheep viu, mandar via Correio, meu aniversário é em Novembro.

No mais, assisti como um filme de ação com umas boas partes filosóficas, lutas lindas e bastante futurismo. Recomendo.

Nota: 44/50

Anúncios